.: Prefeitura De Araguaina :.
Domingo, 05 De Julho De 2020 |    CLIMA: Sol com algumas nuvens. Nao chove. | Mínima: 19ºC | Máxima: 35 ºC



Cidadão Empresa Servidor Turista   Site Covid-19



campanhas





NOTÍCIAS

Médicos e enfermeiros da Atenção Básica são capacitados sobre Tuberculose

Publicado: Data: 25/09/2018 Autor: Ascom

aumnetar letradiminuir letratamanho original imprimir
Plants: image 4 0f 4 thumb

Treinamento termina nesta quarta-feira, no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest); número de casos da doença em Araguaína reduziu 18% entre 2016 e 2017

Por Marcelo Martin - Foto: Divulgação

A Vigilância Epidemiológica do Município está capacitando médicos e enfermeiros da Atenção Básica sobre as ações de controle da Tuberculose. Os ciclos de palestras fazem parte da prevenção permanente contra a doença e renovação do conhecimento dos servidores que fazem o atendimento ao público nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).
 
Ao todo, 110 agentes de saúde participam do treinamento, que foi iniciado na última quinta-feira, 20, e segue nesta quarta-feira, 26, a partir 14 horas, no auditório do Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), localizado na rua 15 de Novembro, nº 923, no Setor Central. As palestras são ministradas pelo médico pneumologista da rede municipal, Cezar Delgado.
 
O Município registrou redução de 18% do número de casos diagnosticados da doença entre 2016 e 2017, passando de 37 para 31 casos. De acordo com a enfermeira coordenadora do programa da Tuberculose, Lucirene Veras, a doença tem cura e a identificação precoce ajuda a diminuir o contágio.
 
“A perspectiva é diminuir o número de casos, para isso temos que descobrir cada vez mais cedo as pessoas que estão doentes, para tratar e curar. Isso é importante para erradicar a doença. O treinamento é justamente para que médicos e enfermeiros sejam eficientes na identificação da tuberculose. Em 2016, por exemplo, tivemos 33 curas entre as 37 pessoas doentes que foram tratadas pelo Município”.
 
Transmissão
A tuberculose é uma doença de transmissão aérea - ocorre a partir da inalação de aerossóis. Ao falar, espirrar e, principalmente ao tossir, as pessoas com tuberculose ativa lançam no ar partículas que contêm bacilos. Bacilos que se depositam em roupas, lençóis, copos e outros objetos dificilmente se dispersam no ar e, por isso, não desempenham papel importante na transmissão da doença.
 
Estima-se que, durante um ano, cada indivíduo infectado possa transmitir a doença para 10 a 15 pessoas. Embora o risco de adoecimento seja maior nos primeiros dois anos, uma vez infectada, a pessoa pode adoecer em qualquer momento de sua vida.
 
A transmissão da tuberculose é plena enquanto o indivíduo não iniciar o tratamento. Com o início do tratamento, a transmissão tende a diminuir gradativamente e, em geral, após 15 dias chega a níveis insignificantes. No entanto, as medidas de prevenção devem ser observadas até que haja a negativação da baciloscopia. Crianças com tuberculose pulmonar geralmente são negativas à baciloscopia.
 
Prevenção
A principal maneira de prevenir a tuberculose em crianças é com a vacina BCG (Bacillus Calmette-Guérin), ofertada gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS).  Outra forma de prevenção é identificar a “infecção latente de tuberculose”, que acontece quando uma pessoa convive com alguém que tem a doença. Neste caso, é necessário procurar uma unidade de saúde. Pessoas que possuem o bacilo recebem tratamento para prevenir o adoecimento.
 
Serviço
O quê: Capacitação para identificar a tuberculose
Quando: Quarta-feira, 26, a partir das 14 horas
Onde: Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), localizado na rua 15 de Novembro, nº 923, no Setor Central

Publicado: Data: 25/09/2018 Autor:Ascom







voltar