.: Prefeitura De Araguaina :.
Sexta-feira, 30 De Setembro De 2022 |    CLIMA: Sol com algumas nuvens. Nao chove. | Mínima: 23ºC | Máxima: 37 ºC
prefeitura de araguaina

Cidadão Empresa Servidor Turista   Site inscrição torneio de pesca garimpinho

Site leilao de Imveis



campanhas





NOTÍCIAS

Prefeitura inicia definição de valores do metro quadrado para cobrança do IPTU

Publicado: Data: 16/10/2013 Autor: Ascom

aumnetar letradiminuir letratamanho original imprimir
Plants: image 4 0f 4 thumb

Os preços serão acordados junto a entidades e instituições civis. O intuito é redividir a cidade em zonas e subzonas para buscar justiça e equilíbrio na cobrança do imposto.

 

A Comissão de Avaliação de plantas de valores reuniu-se na tarde da última terça-feira, 15, para levantar o custo do metro quadrado de cada uma das zonas e subzonas de Araguaína. O intuito é definir valores para a cobrança do Imposto Predial Territorial Urbano – IPTU. “A função da comissão é justamente analisar a pertinência e a coerência dos valores de cada região para que não haja excessos na cobrança”, explicou o secretário da Fazenda de Araguaína, Alberto Brito, que, junto com representantes da Associação Comercial e Industrial de Araguaína – Aciara, Conselho Regional de Corretores de Imóveis - CRECI, Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura – CREA, Conselho Consultivo das Associações de Bairros de Araguaína – CCABA e Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, compõe a Comissão de Avaliação.

 

O que é

 

A planta de valores é a definição do custo do metro quadrado de terrenos e áreas construídas. Sobre o valor global (custo do metro quadrado x área) incidem as alíquotas de IPTU de 1% para áreas edificadas; 2% para terrenos com benfeitorias; e 4% para lotes baldios. “E o preço do metro quadrado será definido já levando em consideração as reduções e deduções propostas pela lei enviada à Câmara”, comentou o secretário.

Durante a reunião, os integrantes da comissão decidiram por novas subdivisões dentro do zoneamento proposto pela Prefeitura. “Antes a cidade era dividida em sete zonas de tributação. Hoje são mais de 90 e esse número deve aumentar. O intuito é buscar justiça e equilíbrio nas cobranças”, comentou Alberto.

Ainda segundo o secretário, as definições estarão completas depois de pelo menos três reuniões. 

Crédito: Leila Mel / Ascom Prefeitura

Publicado: Data: 16/10/2013 Autor:Ascom







voltar